A Idealização do Amor

AMY ADAMS

“Amar é o mesmo que exercitar-nos na simplicidade. O amor não complica, porque seu único desejo é resolver”.

Esta frase do Padre Fábio de Melo chamou-me muito atenção. Fez-me refletir sobre o amor, entre homem e mulher, verdadeiro, real, que vem de Deus.

Em alguns momentos de nossas vidas, conhecemos pessoas que despertam o nosso interesse e, então, uma imagem idealizada desta é criada em nossas mentes e acabamos nos apaixonando. Só de ouvir a voz do ser amado, o nosso coração vibra, o mundo para naquele instante. Tudo parece perfeito, criamos cada vez mais expectativas.

De repente, as coisas começam a mudar, ele(a) já não te procura como antes, os encontros se tornam cada vez mais raros. Com o tempo, você percebe que ele(a) não era nada daquilo que você imaginava. A indiferença e as incompatibilidades entram em cena. Mais uma vez, tudo aquilo que sonhamos, cai por terra. Que balde de água fria!

As decepções às vezes acontecem porque apaixonamos por uma pessoa “idealizada/criada” por nós, porém, precisamos nos atentar para o que realmente a pessoa é e não o que queríamos que ela fosse. Toda essa idealização faz com que nos apaixonemos por um ser irreal, ilusório, utópico.

Mas e quando for amor? Como eu saberei discernir paixão e/ou ilusão de amor?

Acredito que o amor é construído. Ele não é algo que acontece à primeira vista, como muitos imaginam. Paixão sim, pois esta tem ligação com a atração física. Mas o amor, ah… este vai muito além. Amor vem através da convivência. É impossível amar alguém que não conhecemos. Conheceu os defeitos e consegue suportá-los? Ótimo. Não existe amor onde não existe tolerância. As qualidades transcendem os defeitos? Bom sinal. Não há amor onde não há admiração. Há reciprocidade? Tudo flui naturalmente, com simplicidade, cumplicidade, amizade e tranquilidade? Sem pressão? Sem ciúmes doentios? Há respeito? E principalmente, Deus é o centro deste relacionamento? Se estas respostas forem positivas, agradeça. Você, possivelmente, foi agraciada(o) pelo amor e isso é dádiva divina.

Para o amor não existem regras, mas é fácil perceber os sinais, não há definição melhor do que a que está escrita em I Coríntios 13: 4-7: “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”.

Não tenha pressa, se o amor ainda não chegou pra você, é porque não é o momento. “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1). Permita que Deus te prepare e trabalhe em outras áreas de sua vida. Confie Naquele que a(o) criou e que sonha uma linda história pra você.

“Mas, quando vier o que é perfeito, então o que é imperfeito desaparecerá” (I Coríntios 13:10).

Por: Agda Marianne.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s